Monthly Archives: Fevereiro 2009

Diz o roto ao nú, e com razão

O relatório dos Direitos Humanos do Departamento de Estado dos Estados Unidos da América diz que em Portugal a polícia abusa da força, que os guardas prisionais abusam da força, que os maridos abusam da força, e que os pais abusam da força.

E, de vez em quando, os tipos têm razão. Sorte a nossa é que isto deve ter sido escrito antes da retirada de um Magalhães “pornográfico” do Carnaval de Torres Novas e de um livro de arte com capa “pornográfica” em Braga. Eles não só batem, censuram.

1 Comentário

Filed under polícia, youri

Apoiado

Realmente, tal desleixo, como o acima demonstrado, nas partes pudendas femininas merece ser alvo de censura.

Deixe um comentário

Filed under igor marques, nacional

Esperança

Depois do que vi no final do jogo do Benfica ontem ali para os lados de Telheiras, com o Urreta a dar voltas ao campo durante 20 minutos, fiquei cheio de esperança neste miúdo, que ainda por cima tem ascendência Basca.

7 comentários

Filed under futebol, igor marques, nacional

Um santo carnaval para todos

é o desejo do Ministério Público.

2 comentários

Filed under igor marques, nacional

Kosovo – um ano de fantochada

Fantochada não só pela paródia que foi (e há-de continuar a ser) o processo de secessão da província Sérvia do Kosovo, mas fantochada também (e principalmente) o pseudo-Estado criado nos Balcãs, autêntica marioneta ao serviço do Imperialismo Estado-Unidense e do Imperialismozinho de Bruxelas.

Para além da ilegalidade da secessão, é importante referir que o Kosovo é historicamente parte integrante da Sérvia desde o século XI (o que é mais do que a existência de Portugal), não havendo qualquer razão ou justificação para a sua separação.

Tudo faz parte de uma lógica Imperialista, com o regime de Washington a querer abrir um corredor de aliados desde a Dalmácia até à ponta sul da Trácia, depois de terem apoiado a desagregação da Jugoslávia e a criação de Estados etnicamente puros na zona. O mesmo regime de Washington que tinha já o Kosovo dentro dos seus domínios. Actualmente, o Império tem duas bases militares activas na região.

Além disso, a separação do Kosovo tem ainda outra ideia por trás: com a Albânia a candidatar-se a membro da NATO, a Sérvia, enquanto aliada da Rússia, ficará totalmente isolada nos Balcãs e sem acesso ao Mar Adriático. De resto, é bem possível que a jogada passe pela integração do Kosovo na Albânia.

Outra questão prende-se com a viabilidade de um Kosovo independente. O Kosovo é já um paraíso de traficantes das mais diversas mercadorias (incluindo Humanos) e o seus figurões são homens com ligações ao mesmíssimo terrorismo islamista (recorde-se que o UÇK enquadrou mercenários islâmicos, com o conhecimento da NATO). Isto significa que o Kosovo interessa ao Imperialismo, acima de tudo, e aos criminosos internacionais que dele dependem e com ele cooperam, como os traficantes de armas, droga, Humanos e terroristas internacionais.

O Kosovo representa ainda uma nova contradição para o Imperialismo. A maioria da população Kosovar é muçulmana e mais zeladora dos preceitos religiosos que os Bósnios. O perigo de uma deriva fundamentalista é tão ou mais real que na Turquia, onde apesar de tudo existe um controlo político e judicial muito apertado sobre os islamistas. No caso Kosovar, não nos parece que de futuro vá haver condições para um controlo dessa natureza e se para já não parece haver razões de preocupação, a verdade é que no futuro (com esta coisa das religiões nunca se sabe) poderemos vir a assistir a um Estado Islâmico criado e mantido por Washington e Bruxelas. Confesso que me riria bastante.

Por último, qual a justificação que o Kosovo tem para se separar da Sérvia e que outras regiões, essas sim com legitimidade e justificação, não têm? Falemos de Euskal Herria, dos Países Catalães, do Curdistão, da Córsega, do Sahara Ocidental, da Ossétia ou da Abecássia. Porque é a ETA “terrorista” e o UÇK “heróis”?

Em jeito de balanço, e porque foi isso que me fez escrever este post, ao fim de um ano de separação continua tudo na mesma como a lesma, ou pouco mais ou menos. Dois terços dos membros da ONU não reconhecem a independência da região e, entretanto, já se assistiu a uma guerra no Cáucaso como consequência indirecta desta fantochada. Entrementes a UNMIK por lá continua, mostrando que a viabilidade do Kosovo enquanto nação separada da Sérvia é nula. Quanto à própria Sérvia, acaba por constituir a única “vitória” decente para o Imperialismo. Com o isolamento regional a que está sujeita, vira-se cada vez mais para Bruxelas e é possível que a médio-prazo se candidate a membro da UE.

1 Comentário

Filed under igor marques, imperialismo, internacional

Ah sim, porque ser celibatário é normalíssimo!

Um padre considerado importante na associação dos padres veio dizer (num Casino, local consagrado) que “a homossexualidade não é normal”.

Eu concordo com o padre. De facto há coisas que não são normais. Uma delas é ver mulheres e homens, aos magotes, ao Domingo de manhã a entrarem em edifícios desconfortáveis para comerem hóstias dadas por um padre que ninguém sabe se lava as mão (onde anda a ASAE?). Também não acho que seja normal haver gente que acredita (ou diz acreditar) numa coisa que nunca viram. Também não me parece normal a associação dos padres continuar a meter-se em bicos de pés, tentanto imiscuir-se nos assuntos do Estado.

Caro padre importante achas porventura normal as vagas de despedimentos a que assistimos? E sobre o Capitalismo, forma desumana e criminosa de organização económica e social? O que tem a tua associação e o seu presidente Alemão a dizer do assunto? Já sei, “enriquecimento é pecado”. Boa, a tua associação é o maior proprietário do Mundo!

Faz-me imensa confusão o seguinte: os padres dizem que

“Os homossexuais não podem providenciar a formação das crianças, porque uma criança para ser formada normalmente precisa de um pai e de uma mãe e não de dois pais ou de duas mães”
Hey, I’ve got news for you…os padres também não! Do que se conclui que não é normal ser padre e celibatário.

Logo de seguida, o tal padre importante disse qualquer coisa a respeito de casamentos entre católicas e muçulmanos, na linha daquilo que outro padre importante tinha dito há umas semanas. Eu se fosse
católico queixava-me, sinceramente. Se eu me quisesse casar com uma muçulmana também não tinha direito a estes conselhos?

Deixe um comentário

Filed under igor marques, nacional, padres

Pela demissão do Dias Loureiro, criminoso internacional, do Conselho de Estado

Porque o Ali-Babá que está no Palácio de Belém não tem tomates para expulsar criminosos destes de um órgão de soberania da República Portuguesa, temos que ser nós, cidadãos, a pôr ordem nesta República Bananeira.

1 Comentário

Filed under capitalismo, igor marques, nacional