Category Archives: eleições europeias

Papa maizena agrada a todos

Está na hora de começar a bater na direita. Ora, eu só tenho falado de praxes, das parvoíces à Esquerda e a única direita sobre a qual vou falando é aquela lá para o extremo, dos cabeças-rapadas que acham que a ideia de “pátria” é uma coisa importante. Mas e aquela direita neo-liberal, fervorosamente capitalista, que destrói o Estado Social (eu também preferia outra coisa, mas não era preciso destruirem a coisa e não inventar nada de novo) e nos põe numa crise que nos fode por todo o lado (sim, lamento que desse também)?

Eleições Europeias. Não vou começar por questionar o papel da União Europeia, que já de si é bastante duvidoso e que não parece ter grande tendência a mudar o seu rumo, vou apenas começar a bater nos partidos neo-liberais (e outros que tais) candidatos à coisa – o Parlamento Europeu. E o meu visado é o laranjinha Partido Social Democrata, através de uma entrevista do candidato europeu Paulo Rangel ao jornal i (já de si bastante duvidoso).

Começa com um título que demonstra alguma abertura: “A Igreja deveria abrir mais na questão homossexual“. Isso é importante numa Europa que, supostamente, é laica. De seguida vem logo uma frase bombástica que revela que o Rangel não se lembra se chegou a ser militante do CDS/PP – já sabemos que também não é um leftie. Depois vêm aqueles qualitativos como “católico progressista” (lembram-se da Maria de Lourdes Pintasilgo?) “fã de heavy metal”, sempre a juntar o conservadorismo e a seriedade  à abertura e diversidade. Adiante para as questões.

Paulo Rangel diz-se federalista, ao que parece defende algo como um poder central da União Europeia, com uma perda de autonomia dos estados. Eu não sou nacionalista, nem nada que se lhe pareça, mas sempre achei a concentração do poder (além do poder em si) como algo perigoso. De seguida arranca para o referendo ao Tratado de Lisboa (já se sabe que o que a direita diz sobre esses referendos tende a não ser cumprido), dizendo que até tem o seu sentido, desde que se referende a Constituição Portuguesa. Bem, talvez não seja bem a mesma coisa: o Tratado Europeu muda por completo a União Europeia, centraliza e impõe regras novas em todas os estados-membros – o referendo questiona, mais do que o que está lá está escrito, a existência de tal documento enquanto unificadora política e económica da Europa. Não me parece que faça sentido referendar a Constituição com as respostas “sim” ou “não”. Podia-se referendar várias questões da Constituição, claro, como se poderia referendar o novo Código do Trabalho (essa comparação faz mais sentido).

Depois regressamos às perguntas de cáca. Desde criança (?) e adolescente que é do PSD, tendo se aproximado do CDS, tornando-se finalmente militante do PSD em 2005. Com muita modéstia (aka não falar mal da Manuela Ferreira Leite) diz que não gosta de receber elogios do Miguel Júdice sobre o seu futuro como presidente do PSD. Brinca com as bocas do papa maizena (que seca…). A cereja no topo do bolo é que ele lê livros devido ao ano paulista e porque se chama Paulo. Falando no São Paulo, ainda diz umas coisas provocatórias (bom para chamar os laicos do PS) à Igreja: defende a ordenação de mulheres e os casamentos de padres. Tudo porque Jesus Cristo não é como a Igreja Católica – ele é um freak que deve adorar o Jesus Christ Super Star (foi a sua via para o heavy metal). Mas como Paulo Rangel não pode parecer um badameco liberal qualquer defende a posição da Santa Sé em relação ao aborto e à eutanásia. Confuso? Bastante. Mais confuso se torna quando apela à abertura da Igreja em relação à “questão” homossexual, mas não defende hoje o casamento de pessoas do mesmo sexo (é esquizofrénico como o PS nessa questão). Depois não se percebe se defende a união de facto ou se é contra a adopção de crianças por casais do mesmo sexo – o problema é a sociedade portuguesa que é muito conservadora. Ele lá gosta de respeitar isso.

Do que se falou das suas ideias sobre a Europa, porque é que ele o PSD serão diferentes do PS e do CDS? Nada. Só que ele é federalista, de resto é tudo muito cor-de-rosa.

E, bolas, que raio de fotografia do tipo:

Anúncios

1 Comentário

Filed under eleições europeias, psd, youri