Category Archives: trabalhadores

Manifestação pelos Direitos dos Migrantes

Carta Aberta sobre Políticas de Imigração

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under agenda, imigração, racismo e xenofobia, trabalhadores, youri

Por uma Terra sem amos

Para nós o Primeiro de Maio, dia do Trabalho e do Internacionalismo Proletário, é a data mais importante do ano. É o dia de luta por excelência, o dia em que se mostra que a força do Traballho é sempre maior do que a do Capital. É o dia de mobilização das massas proletárias em todo o Mundo.

Este é o 123º Primeiro de Maio consagrado à luta operária. Em 123 anos as condições não mudaram, a exploração continua e a opressão ainda mata. É o Capitalismo que continua a existir. Este dia é o dia consagrado à luta pela sua destruição. Todos o são, obviamente, mas este é especial.

Saiam à rua. Peguem numa bandeira vermelha, preta ou das duas cores. Ergam o punho cerrado e cantem a Internacional.

Este é o nosso dia.

Deixe um comentário

Filed under trabalhadores

1 de Maio: Dia dos Trabalhadores

1 Maio CGTP

1 Maio MayDay

1 Maio Anti-Capitalista

Deixe um comentário

Filed under agenda, trabalhadores, youri

As novas regras da exploração: o trabalho precário

Escrevi um texto sobre o trabalho precário e o MayDay, quando ainda lá andava, para o PassaPalavra. Achei que, apesar da minha visão do MayDay não ser a mais favorável (a crítica virá depois do 1 de Maio), fazia sentido deixar cá o texto:

Que o capitalismo impõe à classe trabalhadora a exploração não é novidade nenhuma. A relação patrão-trabalhador sempre foi hierárquica e em benefício do primeiro, à custa do trabalho do segundo. Porém, pensou-se ter conseguido atingir um patamar em que os trabalhadores mantinham alguns direitos, nomeadamente a estabilidade do seu posto de trabalho, as “regalias” impostas pelo contrato de trabalho e o apoio da Segurança Social. Mas os tempos e as formas mudam, a exploração mudou – agora o trabalho é temporário, livre de direitos e com patrões intermediários.

O trabalho precário está, actualmente, generalizado. A OCDE [Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico, que reúne os países mais ricos] estima que 60% da força de trabalho a nível mundial é precária. Em Portugal são 900 mil os trabalhadores a recibos verdes [ver nota] com um horário de trabalho, que não fazem um trabalho propriamente temporário e específico. Os contratos a prazo, de 1, 2 ou 6 meses, são uma realidade crescente – e terminam normalmente quando atingem o limite de contratos temporários, em que o trabalhador é posto na rua porque as empresas não querem mais gente nos quadros.

Esta instabilidade está associada a um novo tipo de empresas que têm surgido: as empresas de trabalho temporário (ETT). São intermediários entre a empresa onde se trabalha e o trabalhador, ficando com parte do seu salário. Recrutam trabalhadores aos magotes e alugam-nos a outras empresas dos mais diversos ramos, públicas ou privadas.

À instabilidade laboral, que não permite aos trabalhadores organizarem a sua vida pessoal (sim, ela existe), associam-se os baixos salários, que se prolongam sem grandes actualizações. O trabalhador é flexível e pobre.

Para combater e chamar à atenção deste tipo de exploração foi organizada, no 1º de Maio de 2001 em Milão, a primeira manifestação MayDay. Desde então espalhou-se por várias cidades do Mundo, principalmente na Europa. Em 2007 um grupo de activistas, muitos deles estudantes, organizou a primeira manifestação em Lisboa juntando cerca de 300 pessoas. Em 2008 as assembleias do MayDay abriram-se para novas pessoas, aumentou a diversidade, conseguindo organizar uma manifestação com 1000 pessoas. Neste ano de 2009 irão decorrer duas manifestações, uma em Lisboa e outra no Porto. Pelo meio organizaram-se várias acções, invadiram-se centros de emprego, pintaram-se muros, fizeram-se pequenas manifestações simbólicas – sempre num ambiente mais livre e descomprometido que as habituais manifestações de trabalhadores e sindicais.

É um movimento aberto a todos os trabalhadores, desempregados e estudantes. Não é nenhuma alternativa aos sindicatos, que só agora começaram a responder timidamente ao problema da precariedade, mas é uma forma de expressão e de luta – contra o cinzentismo e a instabilidade vivida pelos trabalhadores.

Deixe um comentário

Filed under trabalhadores, youri

Só não atrai trabalhadores…

Inspector do SEF teme que obras públicas atraiam muçulmanos radicais


Deixe um comentário

Filed under imigração, trabalhadores, youri

Festa dos fantasminhas atrás do Pac Man, o malandro

Há muita coisa que se pode dizer sobre o MayDay. Que é necessária uma manifestação que marque a diferença pela forma e objectivos, que chame à atenção para o crescente trabalho precário, que seja organizada em assembleias abertas, etc… Também se pode dizer que essa ideia é boa, não se vislumbrando muito mais que isso – a ideia, por trás da cor, do marketing e da festa.

3 comentários

Filed under agenda, trabalhadores, youri

Manifestação de Jovens Trabalhadores

No próximo sábado é a Manifestação de Jovens Trabalhadores, organizada pela InterJovem. E, nada longe desta temática, a próxima assembleia do MayDay Lisboa é quarta-feira, 25 de Março, pelas 21:30h no SPGL.

Deixe um comentário

Filed under agenda, sindicalismo, trabalhadores, youri